Legado Cultural, como estás a tratar disto?

E aí malta, como estão? Espero que estejam bem e “agilizando” os seus projetos, 😂.

Este artigo é sobre um tema que tenho esbarrado frequentemente no meu dia a dia de trabalho que é o Legado Cultural. Se não sabes o que é isso, fique tranquilo pois eu te explico.

Já deixo o alerta que este artigo terá um monte de #buzzWords. 😉

Aqui na Agilenow, nós trabalhamos como membros das equipas dos nossos parceiros e a grande maioria deles estão a trabalhar na famosa “transformação digital”. Na real isso quer dizer mudar a forma como a empresa trabalha, nomeadamente com a adoção de “métodos ágeis”. 

Com isso, estamos inseridos dentro de um contexto específico que é ajudar a empresa e colaboradores a mudar o “mindset” e com isso mudar a cultura da empresa e é aí que nasce o legado cultural. Mas como ele nasce? Te conto…

Na maioria dos casos, tudo começa na área de Tecnologia dado que esta área costuma ser a pioneira na adoção da agilidade (isso não quer dizer que a área de TI tem culpa de alguma coisa, ok?).

O que se passa é: A TI começa a iniciativa da transformação digital, contrata a Agilenow para ajudar neste caminho com Assessments, Formações e trabalho “hands-on” e com isso, pouco a pouco, começamos a mudar a forma de trabalho das pessoas de TI mas também os seus “mindsets”.

Até aí tudo bem, nada de especial pois muitas empresas seguem este caminho. A questão é que o Legado Cultural começa a ter vida e a “retrucar” quando damos início em escalar a transformação digital ao começar a levar esta mudança e “mindset” para outras áreas da empresa. Como dizemos no Rio de Janeiro: “aí a chapa esquenta”.

A “chapa fica quente” porque mesmo ao mostrar os resultados positivos da nova forma de trabalho para os colaboradores de outras áreas, a grande maioria deles não gostam, ignoram, criam dificuldades e preferem continuar a trabalhar no modelo “Gabriela” (“eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabrieeeeeeela” – Dorival Caymmi). 

E é aí que está o Legado Cultural no pensamento do “eu sou mesmo assim”, que nas palavras das pessoas normalmente é: “aqui sempre fizemos desse jeito”. 

E este ponto é um fator crucial para o sucesso ou insucesso da transformação digital: A evolução do mindset.

Se vocês lerem o Report “Why Agile Transformations Fail” da Planview verão o resultado da pesquisa que aponta os 4 principais fatores de fracasso na transformação digital (agile) das organizações que são:

  1. The underlying psychology doesn’t change enough to give the transformation momentum
  2. A lack of executive sponsorship prevents the transformation from taking root
  3. Traditional planning and budgeting practices cripple Agile transformation efforts
  4. The organization is unable to align around shared objectives

Em tradução literal:

  1. A psicologia subjacente não muda o suficiente para dar ao impulso de transformação
  2. A falta de patrocínio executivo impede a transformação de criando raízes
  3. Práticas tradicionais de planejamento e orçamento prejudicam o Agile esforços de transformação
  4. A organização não consegue se alinhar em torno de objetivos compartilhados

No relatório, a Planview explica de forma simples os problemas e dá dicas de como resolvê-los e eu recomendo fortemente a leitura, pois é muito bom. Mas a frase abaixo chamou a atenção neste relatório pois se conecta com o tema deste artigo:

“The reason many organizations fail with Lean and Agile is the same reason many are successful: Because it requires a fundamental evolution in mindset, not just practices and processes.“

Em tradução literal:

“A razão pela qual muitas organizações falham com Lean e Agile é a mesma razão pela qual muitas são bem-sucedidas: porque requer uma evolução fundamental na mentalidade, não apenas nas práticas e processos.

Não é de hoje que estamos “batendo nessa tecla” que métodos, práticas e frameworks são apenas um meio de se entregar um trabalho mas que se não mudarmos o “mindset” da empresa como um TODO não adianta mudar somente na forma de executar estes trabalhos. 

E é aí que mora o perigo, porque muitas empresas acreditam que transformação digital ou transformação ágil é somente na área de TI e não é. Se as empresas realmente quiserem mudar sua cultura e mindset elas precisam entender que a mudança terá que ser na empresa toda. Desde o C-Level até o colaborador do final do “value stream”.

É importante saber que ao começar a transformação ágil vamos conviver muito tempo com o Legado Cultural, pois pode (e vai) levar alguns anos para conseguir adaptar toda empresa. Engana-se quem acha que a transformação um dia termina, pois esta mudança é uma assíntota.

Nós da Agilenow estamos a viver isso em um dos nossos parceiros (recentemente eu voltei neste projeto) pois estamos a 1 ano a trabalhar juntos na transformação cultural e diariamente o Legado Cultural cutuca a gente, e tudo bem pois estamos a transformar o “mindset” de uma empresa de 502 anos de vida. ninguém achou que seria fácil, nem muito menos rápido.

Estamos a trabalhar com pessoas que têm 20, 30 anos na empresa e é normal termos resistências à mudanças. Ao escutar a história deles na empresa, eles já viram muitas tentativas de mudanças e ideias chegar e fracassar e o modo “Gabriela” deles continuou a funcionar. Eles estão certos em questionar e resistir. Eu entendo eles!

E é por entendermos eles, que estamos cada vez mais a conseguir diminuir este Legado Cultural pois sabemos que precisa ser aos poucos, devagar e mostrando a eles os benefícios da mudança. 

E estamos fazendo isso principalmente porque fazemos parte da equipa e trabalhamos juntos com eles. Com isso, eles têm a oportunidade de ver como se faz, reproduzir, aprender, perguntar e aos poucos, passar a fazer de uma forma nova, diferente, sem ser “Gabriela”.

É claro que eventualmente algo dá errado e temos que entender o que se passou, validar o que pode ser melhorado e tentar novamente. Quem disser ao contrário está mentindo descaradamente. Diariamente lidamos com problemas, argumentações e questionamentos, mas isso tudo é a natureza do nosso trabalho.

Para concluir, quero enfatizar que o trabalho está dando certo pois nós temos o buy-in dos Stakeholders, que conforme o relatório da Planview, a falta do buy in costuma ser um dos 4 problemas do fracasso na transformação agile. Também tem outros fatores cruciais para o sucesso do trabalho que está a ocorrer, principalmente a adesão e parceria dos colaboradores mas sem o buy-in dos stakeholders, estaríamos fadados ao fracasso e seríamos mais um número na estatística do relatório.

Portanto, no seu dia a dia, lembre-se do Legado Cultural, das barreiras e dos principais motivos de falhas das empresas que querem se transformar digitalmente e/ou no agile. Talvez ao se lembrar disso, possas criar um plano estratégico para conseguir passar pelas dificuldades e caso precise de ajuda, pode contar connosco. 

Espero que tenham gostado. Estou à disposição para conversar sobre este tema.

Bora lá!

Autor: Ricardo Caldas

Referências

Partilhe este artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Descobre todas as formações
que temos disponíveis.

Publicações Semelhantes

Products
Glauco

Estórias de user stories

Durante a minha jornada como solution architect em encontrei várias user stories memoráveis. Umas por bons motivos e outras por motivos…. menos bons. Hoje eu

Ler mais »

Subescrever Newsletter

A sua mensagem foi enviada com sucesso. Obrigado.​