Board Meeting Anual: Convergir Motivadores de Mudança & Diretores

  • arrow
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fala galera, tudo bem?

Vou usar o mesmo racional dos artigos anteriores pressupondo que vocês já conhecem os Movings Motivators criado pelo Jurgen Appelo e ensinado nas aulas de Management 3.0. Caso ainda não conheçam, leiam o artigo do Tadeu Marinho.

Cartões Moving Motivators

Segue o contexto do trabalho e como cheguei até os Movings Motivators (criado por Jurgen Appelo e ensinado nas aulas de Management 3.0:

Em Janeiro de 2020 participei de uma reunião Anual do Board de direção de uma empresa de seguros em Lisboa e tinha os seguintes objetivos:

  • Fazer um workshop de introdução à agilidade, apresentando para eles os conceitos básicos do ágil e os principais frameworks e práticas;
  • Apresentar e Rodar um Team Assessment (Versão Pocket) utilizando o Radar Ágil e os 4 Domínios da Agilidade, criado pela Knowledege21;
  • Atuar como facilitador das sessões de priorização e tomada de decisões.
Diretores – Agile Workshop

Comecei o dia com o Workshop e ao longo do dia as sessões de trabalho foram acontecendo e os resultados esperados e combinados foram emergindo e sendo apresentados.

Uma ponto de conversa e discussão que surgiu várias vezes durante o trabalho foi a questão da motivação, tanto do grupo de trabalho como dos seus liderados (que não estavam presentes mas esse grupo estava preocupado com esse tópico).

Como eu sempre ando com um kit “Management 3.0” comigo, eu tinha os cards dos Movings Motivators na minha mochila e por mais incrível que pareça, estava adiantado com os trabalhos e tinha cerca de 1:30 de trabalho disponível. Com isso conversei com os meus stakeholders e alinhei de fazer mais uma entrega para o grupo de trabalho: Moving Motivadores.

Primeiro, apresentei o conceito e falei de como seria a dinâmica para as 30 pessoas do grupo. Como eu só tinha 1 Kit de cards comigo, a dinâmica aconteceu da seguinte forma:

Equipa a adicionar os seus motivadores na parede

● Expliquei card por card e tirei dúvidas;
● Conforme explicava cada card, fui colando os mesmos na parede em ordem aleatória;
● Ao final da explicação pedi para que eles escrevem em post-its uma ordenação dos mais importantes para os menos importantes e ao final que colocassem os post-its com a ordenação nos devidos motivadores;
● Conforme eles foram escrevendo, alguns tiravam dúvidas, outros ficaram mais pensativos mas ao final todos conseguiram fazer sua ordenação e colocar na parede.

Algumas perguntas que surgiram:

  • Devo fazer o pedido pessoalmente ou profissionalmente? A meu ver, não existe essa separação entre profissional e pessoal, mas eu os orientei a pensar na esfera profissional, pois não teríamos tempo para aprofundar a discussão sobre esse tema.
  • Alguns tiveram dúvidas sobre o entendimento de 2 Cartas: Poder e Meta e eu esclareci novamente o contexto de cada carta para ajudá-los a entender.

Com todo o quadro completo, começamos o debriefing e discussões sobre como usá-lo diariamente, individualmente e com equipes, e apresentamos alguns insights e dicas:

  • Infelizmente, é comum as pessoas não pensarem no que as motiva, por que acordam todos os dias para ir para o trabalho e o que as faz felizes;
  • Dei uma dica para quando eles vão praticar com suas equipes, tentando encontrar pontos em comum entre as pessoas, de acordo com suas ordenanças. Isso ajudará a criar conexões e aproximar as pessoas;
  • Dependendo da equipe e das pessoas que comandam essa dinâmica, é possível que os motivadores em comum estejam mais ligados ao crescimento pessoal, propósito, domínio e menos a status, dinheiro;
  • Saber o que motiva suas equipes ajudará a mantê-los mais felizes e engajados e também ajudará a equipe a se auto-organizar para impulsionar os motivadores uns dos outros.

Expliquei que existem outras forma de se aplicar os Moving Motivators mas um ponto que reforcei bastante é que não estamos avaliando as pessoas nem as equipes.

Essa prática ajuda a entendermos o que motiva as pessoas e juntos trabalharmos planos de ações, melhorias individuais e coletivas, diversidade entre os times de trabalho e ajuda como uma ferramenta de team building.

Uma reflexão antes de terminar o artigo: se uma pessoa colocar o Motivador Relação como o menos importante. Seria essa pessoa a mais indicada para atuar em atividades que é necessário conversar com muitas áreas, clientes e pessoas da empresa?

Observação: uma lição que, da próxima vez, terei de executar a dinâmica com pessoas que não estão organizadas em equipes, organizando-as como equipes antes de sair, pois isso ajudará a tangibilizar como a prática funciona em equipes veja a equipe comum de motivadores. Mas agilidade é isso; construir, medir e aprender ou melhoria contínua 😉

Se quiser falar mais sobre a dinâmica e o tema me procure que ficarei feliz em conversar contigo.

Abraços e até a próxima.
Ricardo Caldas

Descobre todas as formações
que temos disponíveis.

Subescrever Newsletter

A sua mensagem foi enviada com sucesso. Obrigado.​