Usando o Delegation Poker e os 7 níveis de Delegação com pessoas desconhecidas em contexto real

Fala galera, tudo bem? 

Acredito que muitos de vocês já conhecem os 7 níveis de delegação então fiquem tranquilos pois não serei mais uma pessoa que vai escrever e explicar o que é, de onde vem e como usar porque tem muito artigo bom publicado (podem ler no nosso blog em Português).

Meu objetivo é contar um caso real que aconteceu comigo em uma aula de Management 3.0 que ministrei em 2019 no Porto, Portugal.

Contexto:

Eram 17 alunos na turma aprendendo sobre Management 3.0 sendo que a maioria não se conhecia. Até aí nada de especial.

Ainda no 1º dia chegamos à parte de delegação e empoderamento, passamos pela teoria e também por uma prática usando um case fictício e após o debriefing da dinâmica, surpreendi a turma com uma prática real onde eles deveriam usar os 7 níveis de delegação para resolver uma questão: 

Eles deveriam escolher 3 pessoas entre eles para ganhar um voucher para fazer a prova da Certificação de “Professional Agile Leadership” da Scrum.Org.

Obs: Nessa época a Management 3.0 estava rodando um experimento e disponibilizou alguns vouchers para os trainers doarem aos alunos das turmas. Eu tinha 3 vouchers disponíveis e poderia utilizar com os alunos da forma que eu quisesse e achei justo deixar que eles mesmos se auto organizassem e decidissem por si só.

Mas Ricardo, isso tem tudo pra dar errado. Eles não se conhecem, são 17 pessoas, é uma certificação reconhecida, vai dar briga…. Mas não deu 😉

Veja como alinhei a dinâmica e suas restrições (conectando com o conteúdo de Alinhar Restrições):

  • Eram 3 vouchers disponíveis então eles deveriam escolher 3 pessoas;
  • A prova da certificação tinha uma data limite de 2 meses, então quem ganhasse deveria fazer a prova dentro do prazo;
  • Após fazer a prova, os alunos deveriam me informar se passaram ou não (pois eu precisava passar essa informação para o experimento da Management 3.0).
  • Nível de Delegação para a dinâmica: 6 (Eu já tinha explicado todos os níveis de delegação para os alunos previamente e eles praticaram no caso fictício).
  • Conversem, decidam e me avisem quem serão as 3 pessoas que ganharão os vouchers

A partir daí eles se juntaram em grupo de começaram a conversar e votar para saber:

  • Quem quer o voucher?
  • Qual motivo quer o voucher?
  • Quem tem tempo para estudar e fazer a prova?
  • Quem acha que consegue passar?

As conversas foram acontecendo aos poucos algumas pessoas naturalmente foram abrindo mão da participação pois entenderam que não fazia tanto sentido para elas naquele momento como faria para outros alunos que também tinham interesse. 

Sim gente, foi isso mesmo que você entendeu: Eles tinham se conhecido cerca de 3 a 4 horas antes, estavam conversando sobre ganhar um voucher para uma certificação importante e algumas pessoas abriram mão da participação em prol de outros.

Eles levaram cerca de 30 minutos para decidir quem seriam as 3 pessoas que iriam ganhar o voucher e pasmem: não teve briga alguma, pelo contrário, o pessoal se divertiu demais e ajudou mais ainda no “team building” da turma.

Quero citar alguns pontos importantes que ajudaram nessa interação deles. 

  • Eu normalmente começo a aula praticando (e apresentando) o Personal Map com os alunos isso ajudou muito para que eles se conhecessem melhor logo no início da aula. Quem quiser saber mais sobre essa prática, pode ler um artigo de um dos meus mentores, Tadeu Marinho;
  • O modelo da aula é puxado e não empurrado. Ou seja, o conteúdo é passado através de práticas e depois conectando com a teoria e isso também ajudou pois os alunos interagiram bastante em outras dinâmicas que já tinham acontecido;
  • Os alunos eram sensacionais e trabalharam com o propósito de eleger as 3 pessoas que não só estariam mais aptas para a prova mas que a certificação traria um benefício para a carreira delas

Ao final, foi um momento muito divertido e prático que provou que as pessoas conseguem se auto organizar, alinhar restrições e ter empoderamento para tomarem decisões. É claro que cada caso é um caso e que os níveis de delegação variam para cada contexto (não se esqueçam disso).

Após isso a aula seguiu seu curso e tivemos 2 dias muito prático e divertido de troca de conhecimentos e experiência e alguns meses depois os alunos me avisaram do resultado das provas. Um deles passou e outros dois não passaram mas foi quase e eu passei as informações para a Management 3.0 validar ou invalidar seu experimento.

Algumas reflexões que deixo para vocês:

“Você não pode delegar o que não tem autonomia”.

“ Delegação é o primeiro passo para Confiança”, Toledo, Rodrigo de – Knowledge 21

Estou feliz de poder compartilhar com vocês esse caso e se quiserem falar mais sobre o assunto, estou disponível.

Abraços e até a próxima.

Ricardo Caldas

Partilhe este artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Descobre todas as formações
que temos disponíveis.

Publicações Semelhantes

Subescrever Newsletter

A sua mensagem foi enviada com sucesso. Obrigado.​